segunda-feira, 3 de março de 2008

Café e Baton


O dia amanhece no filtro de papel
Na claridade do óculos dentro da bolsa.
Acorda qual um camelo estrábico
E um querubim paralítico.
O dia amanhece logo depois da veneziana
Um pouco aquém do sujeito que observa
E além daquilo que é percebido.
Acorda como um risco no vazio
Criando espaços que não existem
Ou fingem existir por pura insistência. O dia amanhece num sol maduro
Prestes a ser colhido
Espremido até o caldo.
Um dia Vita saiu de casa bem cedinho. Arrumou -se com esmero, pegou algumas bolachas na cozinha e colocou dentro da sua bolsinha. Conversou com os seus mortos, escutou o jornal matinal, regou as plantas, deixou a louça por lavar, abriu as cortinas da casa, e saiu deixando a porta sem trancar. Desapareceu no espelho da esquina . Escreveu com batom um último verso: "Não me esperem para o jantar".

2 comentários:

Mila Viegas disse...

Márcia,
Amo ler seus textos, seus livros e foi através deles que tive o primeiro contato real com a minha condição feminina. Te agradeço por tudo isso! Agora vou poder estar ainda mais perto de você, visitando o seu blog. Obrigada pela oportunidade!
beijos
Mila

Rui Martins disse...

Veja só Marcia, tinha deixado um comentário inspirado mas o Google me pegou e exigiu abrir uma conta. Abrir uma conta ou deixar de lado o comentário. Aceitei abrir a conta e voltei para postar o comentário. Mas zebrou, ele já tinha ido embora, mais um dos muitos efêmeros e perdidos nas selvas da Internet.
Mas vou ver se me lembro.Dizia ter gostado de passear pelo seu blog. E que já conhecia teu nome de emails recebidos e lidos, mas desconhecia ser escritora, embora tivesse a intuição de ser pessoa boa de escrita.
E acrescentava o desejo de voltar de vez em quando ao seu blog para passear e numa das esquinas criadas com seus títulos, entrar num deles apra ler com calma e prazer.
Grande abraço, daqui dos Alpes não tão frios, Rui Martins, que gosta tb de escrever, mas sobre coisas políticas, o que tb é outra forma de sonhar, com um mundo melhor, porém pura e louca utopia,
Rui Martins

Chet

Chet

Home Sweet Home

Home Sweet Home
Que buraco é esse que me faz comer a geladeira?

Livros & Livrarias

Livros & Livrarias
Livrarias são janelas. Livros olham o mundo.Livrarias libertam. Livros revolucionam.

Senhoras do Santíssimo Feminino

Senhoras do Santíssimo Feminino
O poder sagrado Delas.

A Pergunta de Lacan

A Pergunta de Lacan
O mistério do gozo das mulheres

Afrodite & Panelas

Afrodite & Panelas
E no princípio era a GULA...

A Casa

A Casa
O mundo olha pelas nossas janelas...

Um Lance de Dados

Um Lance de Dados
Jamais abolirá o acaso

O Caldeirão

O Caldeirão
Ele não está no final do arco-íris

Armário e Gavetas

Armário e Gavetas
O que será que eles revelam?

Minha Cozinha

Minha Cozinha
Onde tudo começou.

Meus Segredos

Meus Segredos
Laços e refogados culinários

Nossas Luas

Nossas Luas
E são treze...

Seduções & Devaneios

Seduções & Devaneios
Eu o escreveria mil vezes!

Guadalupe, a Santíssima Mestiça

Guadalupe, a Santíssima Mestiça
Como amei descrevê-la!

Amor e Cozinha

Amor e Cozinha
Foi uma delícia escrevê-lo!