quinta-feira, 6 de março de 2008

Ana, São Jorge Derreteu!


Ontem, quando acordei e vi São Jorge derretido no chão da sala, afogado em um mar de açúcar, desconfiei que podia ser algum sinal. Bem verdade que quando o ganhei de presente de Ana Durães, ela me aconselhou a comê-lo ao invés de guardá-lo. "Vai derreter, " ela disse.
Mas quem, em sã consciência, comeria um santo? Por mais que os músculos dele saltassem da armadura de ferro, por mais que aqueles olhos azuis provocassem terremotos e arrepios na carne, santo é santo! Comer São Jorge? Nem morta!
Face à minha determinação, Ana, formada e diplomada nas artes dos santos, sugeriu uma camada de verniz. "De repente, impermeabiliza", ela disse.
A princípio, a solução pareceu acertada. Mas quantas camadas seriam necessárias? Certamente muitas, se ele não fosse santo e fosse homem, mas santo, sem nenhuma nódoa para esconder e nenhuma vaidade para exibir, é uma outra história. Não havia pincel no mundo que deslizasse um quase tico de verniz desnecessário.
Não sei se pelos muitos copos de vinho ou pela euforia de estarmos reunidos - eu, Ronaldo, Ana, André Mux, Adriana Reis e Allison - a degustação do santo foi esquecida. De cima da mesa São Jorge nos espiava com olhar pidão, e Adriana jurou ter visto umas gotas vermelhas escorrerem do canto da boca dele. Se fosse em outro contexto, numa ocasião mais sóbria, todos nós admitiríamos o milagre, mas já estávamos na sexta (ou seria oitava?) garrafa de vinho, com os pés enfiados na região onde milagre é ficar sóbrio, e deixamos Jorge quieto no seu canto.
Melado, caramelado, desengonçado na sela do seu cavalo branco, o santo brandia a lança sem o mesmo ímpeto de antes. "São Jorge está bêbado. É melhor comê-lo", disse Adriana sem um mínimo pudor.
Receosos de recairmos em pecado mortal, não nos aproveitamos da santíssima embriaguez e Jorge ficou na mesa, chapado. Depois que todos foram embora o carreguei para o altar. E lá ele dormiu por alguns meses, até que Gilda Brasileiro, minha amiga química, filha de Iroko e Oxum, me aconselhou a servir cerveja para ele. "Mas só serve em copo de prata", ela recomendou.
Durante um ano ele se entupiu de cerveja, até que ontem, por coma alcoólico ou mistério que só os santos conhecem, São Jorge derreteu. Escafedeu-se sem deixar nenhum bilhete, deixando no ar uma sinistra pergunta: teria sido melhor comê-lo?

8 comentários:

Mila Viegas disse...

Uau!! Nem tenho comentários... rs. Adorei saber que São Jorge pode ser comido. Seria no bom sentido? Ou será que existe mau sentido? Prestarei mais atenção aos meus santos a partir de agora.

Angela Dutra de Menezes disse...

Márcia, vc é o máximo. Mas acho q vc devia ter comido São Jorge....

Jô Gadonski. disse...

Salve Jorge, sentou praça caramelado!

Teu blog é uma delícia,Márcia (Chet Baker também).

Beijo!

JC Duarte disse...

E se os santos podem ser comidos, no caso se S. Jorge a lança sempre pode servir de palito para dentes.Ou, em alternativa, de espeto para as brasas, mas creio que santo não passa pelo inferno.
Parabéns!

Crítica e denúncia disse...

Vai gostar de santo assim lá no Brasil, rsrsrsrsrs, desculpe Marcinha, foi a minha primeira reação, boba, pq não gosto de santo, mas gosto do que tu escreves e vai ter criatividade assim, lá no Brasil também !! Você é escritora e isto talvez explique tudo, no entanto eu, no mesmo galho, ando ciscando mal, perdi a criatividade, perdi o ânimo para bons textos....acho que é fase.
Grande beijo e visite meus blogues. Vem dar uma força no http://s-o-s-miseria.blogspot.com

andarilha disse...

tá certa voce, Marcia. Nada de comer santo. Cruz, credo! Já pensou se ele começa a perseguir a gente por conta da gulodice... Eu também não comia não, mas como sou egoísta, a tal cervejinha teria dado só por um tempo. Só pra molhar gogó do santo!

FEITA COM ALMA! disse...

Achei o máximo o livro da guadalupe nossa eu leio um pouco de cada livro seu, é que a cada instante preciso de uma coisa e está em um de outra e está em outro livro seu ou de outro escritor, mas posso adiantar é muito bom poder ter informações degustáveis, degustáveis? sim eu nem sei se existe esta palavra mas quando a informação é boa a gente come, de forma figurada claro!!
mas vc não quis comer são jorge, eu pensei e se vc comesse o são jorge e ele desse p vc um sinal, ou o sinal veio pq vc não comeu são jorge??
bjs iluminados

Lúcio Fernandes disse...

hauhsauhsauhsuhashsahsasa

adorei a história.

Parabéns Márcia;)

Chet

Chet

Home Sweet Home

Home Sweet Home
Que buraco é esse que me faz comer a geladeira?

Livros & Livrarias

Livros & Livrarias
Livrarias são janelas. Livros olham o mundo.Livrarias libertam. Livros revolucionam.

Senhoras do Santíssimo Feminino

Senhoras do Santíssimo Feminino
O poder sagrado Delas.

A Pergunta de Lacan

A Pergunta de Lacan
O mistério do gozo das mulheres

Afrodite & Panelas

Afrodite & Panelas
E no princípio era a GULA...

A Casa

A Casa
O mundo olha pelas nossas janelas...

Um Lance de Dados

Um Lance de Dados
Jamais abolirá o acaso

O Caldeirão

O Caldeirão
Ele não está no final do arco-íris

Armário e Gavetas

Armário e Gavetas
O que será que eles revelam?

Minha Cozinha

Minha Cozinha
Onde tudo começou.

Meus Segredos

Meus Segredos
Laços e refogados culinários

Nossas Luas

Nossas Luas
E são treze...

Seduções & Devaneios

Seduções & Devaneios
Eu o escreveria mil vezes!

Guadalupe, a Santíssima Mestiça

Guadalupe, a Santíssima Mestiça
Como amei descrevê-la!

Amor e Cozinha

Amor e Cozinha
Foi uma delícia escrevê-lo!