quinta-feira, 3 de abril de 2008

Uma Avó Inventada

Vitalina amava as invencionices. Gostava de mirar o céu e inventar estrelas. E se alguém porventura ( ou por desgraça ) lhe dissesse que não se pode olhar o céu e inventar cometas, ela certamente olharia o infeliz e inventaria mais um tolo. Para ela, o mundo não passava de uma invenção dos Deuses que imploravam aos inventados que inventassem coisas. E Vitalina obedeceu e inventou. Criou um mundo novo, um admirável mundo não tão novo, propício aos precipícios das invenções ( ou invencionices, como ela mesma falava ). Equilibrou-se num pé de vento, levantou as saias e pariu rebentos. Não gostava de chamá-los de filhos e inventou novas palavras que os significasse. Alvaro, o pequeno, foi chamado de Vico assim que mostrou a cabeça na arrebentação da vagina. Nazira virou Nazir, a amazona. E assim os rebentos se sucederam nomeados e desmamados. O primeiro leite foi retirado da Via Láctea, escorrido das tetas de uma vaca sagrada que adorava comer torresmo. Um leite gorduroso, inadequado como as invencionices das mães. Mas Vitalina não ligou e seguiu inventando carnes e gorduras. O mundo era então um filé gordo e mal passado. E se alguém, por ventura ( ou desgraça ) lhe dissesse que só os Deuses digerem os filhos, ela inventava um novo profano... E foi assim que, por artes das invencionices de Vitalina ou do ventre de Maria, arrebentei num setembro. Mamei nas tetas de uma vaca negra que Vitalina trouxera de uma galáxia que inventara. Maria dormia enquanto eu mamava. Dormia um sono inventado, criado por uma velha inventada para inventar estrelas e não ter medo de Deus.

Um comentário:

betina moraes disse...

...Márica...

sempre brilhante sua forma de Universalizar delicadezas e intimidades.

lindos (os três recentes) textos!

um beijo.

Chet

Chet

Home Sweet Home

Home Sweet Home
Que buraco é esse que me faz comer a geladeira?

Livros & Livrarias

Livros & Livrarias
Livrarias são janelas. Livros olham o mundo.Livrarias libertam. Livros revolucionam.

Senhoras do Santíssimo Feminino

Senhoras do Santíssimo Feminino
O poder sagrado Delas.

A Pergunta de Lacan

A Pergunta de Lacan
O mistério do gozo das mulheres

Afrodite & Panelas

Afrodite & Panelas
E no princípio era a GULA...

A Casa

A Casa
O mundo olha pelas nossas janelas...

Um Lance de Dados

Um Lance de Dados
Jamais abolirá o acaso

O Caldeirão

O Caldeirão
Ele não está no final do arco-íris

Armário e Gavetas

Armário e Gavetas
O que será que eles revelam?

Minha Cozinha

Minha Cozinha
Onde tudo começou.

Meus Segredos

Meus Segredos
Laços e refogados culinários

Nossas Luas

Nossas Luas
E são treze...

Seduções & Devaneios

Seduções & Devaneios
Eu o escreveria mil vezes!

Guadalupe, a Santíssima Mestiça

Guadalupe, a Santíssima Mestiça
Como amei descrevê-la!

Amor e Cozinha

Amor e Cozinha
Foi uma delícia escrevê-lo!