sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Grafite, Sartre & Lee Konitz

Por que lapiseiras não tocam?
Grafites bem que podiam tocar.
Improvisar notas
sem verbos
conjunções
preposições
sinais.
Grafites deviam ser maleáveis
rápidos e reticentes
como um solo de Lee Konitz.
Grafites bem que podiam ser soltos,
etéreos
ásperos
inexplicáveis.
Grafites deviam parar de tentar
explicar o mundo,
pessoas
estados e tempo.
Grafites deviam esquecer a náusea
e ouvir mais música.

2 comentários:

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Explicar o mundo?
Só mesmo os poetas.
A vida não passa de um sonho, que vocês os poetas fazem de uma maneira linda , a vida bem mais bonita.
beijos, e apareça tenho postagem nova.

Rafael Oliver disse...

Márcia,

belo texto, obrigado por enviar belas palavras sempre ao meu email.
Parabéns pelo trabalho!

até logo!

Chet

Chet

Home Sweet Home

Home Sweet Home
Que buraco é esse que me faz comer a geladeira?

Livros & Livrarias

Livros & Livrarias
Livrarias são janelas. Livros olham o mundo.Livrarias libertam. Livros revolucionam.

Senhoras do Santíssimo Feminino

Senhoras do Santíssimo Feminino
O poder sagrado Delas.

A Pergunta de Lacan

A Pergunta de Lacan
O mistério do gozo das mulheres

Afrodite & Panelas

Afrodite & Panelas
E no princípio era a GULA...

A Casa

A Casa
O mundo olha pelas nossas janelas...

Um Lance de Dados

Um Lance de Dados
Jamais abolirá o acaso

O Caldeirão

O Caldeirão
Ele não está no final do arco-íris

Armário e Gavetas

Armário e Gavetas
O que será que eles revelam?

Minha Cozinha

Minha Cozinha
Onde tudo começou.

Meus Segredos

Meus Segredos
Laços e refogados culinários

Nossas Luas

Nossas Luas
E são treze...

Seduções & Devaneios

Seduções & Devaneios
Eu o escreveria mil vezes!

Guadalupe, a Santíssima Mestiça

Guadalupe, a Santíssima Mestiça
Como amei descrevê-la!

Amor e Cozinha

Amor e Cozinha
Foi uma delícia escrevê-lo!